Família do-ré-mi-fá

Archive for the ‘Irmã’ Category

2 anos

Posted on: 09/11/2010

Maridón ontem me pergunta se eu prefiro almoçar ou jantar fora com ele hoje.
Em plena terça-feira (?)
“Ué, por que?” – estranho.
“Pensa, Dany, que dia é amanhã?”
“Dia 09 de novembro. E…???”
“Que data tá marcada na sua aliança?”
“Ih, é verdade! 2 anos juntos!”

Sou desligada com datas. Já maridón é ligadíssimo. Aqui em casa subvertemos a estatística dos sexos: é o homem quem lembra dos dias comemorativos.

***

No dia 09 de novembro de 2009 trocamos alianças. Não havia uma igreja, cartório ou casa de festas. Mas nossos parentes e amigos mais queridos estavam lá. E muitos choraram (como em qualquer casamento) no “momento das alianças”. As diferenças de um casamento comum pro nosso: A “igreja” era uma casa de shows; o “altar” era um palco, as “velas” eram luzes estroboscópicas, a “ornamentação” eram cabos, instrumentos, luzes coloridas, fumaça de gelo seco, caixas de retorno. O “pastor, padre, juiz ou orador” era o próprio “noivo”. E a “noiva”….bom, a noiva nem sabia que ia “CASAR”.

Assim estava garantida minha surpresa mór da noite.
Eu estava lá apenas para fazer um show em comemoração ao meu aniversário. Comemorávamos também à chegada do bebê (6 meses de gravidez). Tínhamos reunido uns amigos músicos, montado um show para apresentá-lo numa festa de aniversário, escolhido uma casa de shows na Zona Sul da cidade, convidado nossos amigos e parentes e, ao final do show abriríamos espaço para uma Jam Session, onde qualquer um poderia participar tocando ou cantando seu repertório favorito. O script da festa estava todo montado e acertado. Eu só não contava com a surpresa no meio do show.
HP parou a banda, anunciou um momento-surpresa, pediu pra eu descer do palco e, assim, bem de improviso (porque nada disso foi ensaiado) fez umas piadas e cantou 3 músicas engraçadinhas. O povo achou que era apenas um momento-humor. Mas…pra que raios a Dany precisava sair do palco? – muitos devem ter se perguntado – inclusive eu. No meio da terceira música, ele me chamou de volta. Fez uma declaração sobre o tempo em que estávamos juntos e chamou a filha dele ao palco. Alice subiu trazendo uma caixinha de alianças. HP ajoelhou, me pediu em casamento e botou a aliança no meu dedo. Nos beijamos. Coloquei a dele também. Eu tremia. Nos beijamos novamente. A platéia chorava. E retomamos a música interrompida. Foi lindo. Diferente, inusitado, espontâneo. Bem ao estilo HP.
Naquela noite eu tive a certeza de que os melhores momentos da vida acontecem assim: sem ensaio.

***

E assim HP saiu hoje da ZN na hora do almoço, enfrentou meia hora de trânsito pra me encontrar na ZS e aproveitar só 1 horinha de almoço comigo.

Não pudemos nos dar ao luxo de sair pra jantar, porque aquele carinha que estava assistindo tudo, de dentro da barriga, há 2 anos atrás, tinha pediatra hoje à noite.

Eu tenho os pés na sua cabeça
Eu quero que você não me esqueça
Nunca mais (refrão)

O aurélio diz que sou um inseto sugador
Mais sinto muito amor
Por cabelo de anjo
Seja ele qual for
Cabelo loirinho, encaracoladinho
Mas também pode ser muito lisinho…
Moreno comprido escorrido
E também pode ser, muito curto e crespinho,
Pode ruivo, castanho, bem duro,
Qualquer tipo de cabelo me satisfaz
(refrão)
Sou muito insistente,
Sou conquistador.
Pois fico resistente aos venenos com que, você me viciou…
Shampu, sabonete, vinagre, perfume, creme, neocid, tudo eu acho normal.
Pela homeopatia tenho até simpatia
Porque ela é muito mais natural
Só tem duas coisas que vão me matando
É passar pente fino e mão me catando
(refrão)
Quando eu sou criança
O meu nome é lêndia
Mais a minha infância
Dura pouco demais…
Logo, logo eu cresço,
Pra infernizar tudo,
E faço minha casa
No teu coro cabeludo.
Não escolho cabeça nem classe social,
Pra mim rico ou podre,
É tudo igual!

Música: O PIOLHO (Bia Bedran)

***

A festa estava muito boa
Todo mundo dançava sem parar
De repente começou o coça, coça
Era o Godofredo que chegou sem avisar
Coça, coça, coça aqui
Coça, coça, coça ali
Coça ali coça acolá
Todo mundo no salão não parava de coçar

Godofredo, Godofredo o piolho
Ele adora cucuruco de pimpolho
Godofredo, Godofredo o piolho
Ele adora cucuruco de pimpolho

Corre, corre, corre meu baixinho
Godofredo o piolho já chegou
Corre, corre, ele chega de mansinho
Godofredo o piolho é um terror
Godofredo, Godofredo o piolho

Coça, coça, coça aqui
Coça, coça, coça ali
Coça ali coça acolá
Todo mundo no salão não parava de coçar

Godofredo, Godofredo o piolho
Ele adora cucuruco de pimpolho
Godofredo, Godofredo o piolho
Ele adora cucuruco de pimpolho

Godofredo adora cabeludo
Nem os carecas Godofredo perdoa
No topete ele gosta de dançar
E na careca ele vai patinar
Para acabar com esse piolho
Eta bichinho abusado
Taca xampu, pente fino, sabonete
O Godofredo vai ficar arrasado

Godofredo, Godofredo o piolho
Ele adora cucuruco de pimpolho

Música: GODOFREDO, O PIOLHO (Xuxa)

***

Sacaram como está a coisa lá em casa?
Alice pegou piolho. Vieram com força total.
Por enquanto nem eu, nem Eric, nem HP pegamos os famigerados sangue-sugas. Thanx Gód!
E Alice está há alguns dias se submetendo a famosa operação pente-fino, cujo saldo diário não se contabiliza em prisões, mas em mortes avassaladoras.

***

Não, eu não encarei o mata-mata Essa parte eu deixei pra jogadora de meio de campo, que é muito mais habilidosa e menos fresca do que eu: a babá.
Fiquei no banco de reserva, fingindo observar as jogadas, mas fechando os olhos a cada passe, na maior vista grossa.
Difícil foi dizer “não” pra pequena, que o tempo todo queria me convocar:
– Tia Dany, vem ver! Vem ver! Ah, por favor, vem ver quanto piolho saiu da minha cabeça!!!

Tá doida? Tia Dany foi ali e já volta…

(Alice, nada pessoal, mas prefiro conviver com um lado seu menos escatológico)

(Um texto que escrevi qdo o Eric tinha 9 meses)

Apesar da diferença grande de idade, sinto que você e sua irmã serão grandes parceiros nessa vida.
Dividem o mesmo pai, a mesma casa, o mesmo quarto, os mesmos brinquedos, a sopinha de legumes, a geléia de mocotó e o danoninho.

Sua irmã coloca dvds “de menino” para vc assistir junto com ela; coloca em canais de tv que passam desenhos de bebê ou “de menino”; pede de presente brinquedos “de menino” pra que vc tb possa brincar ou herdar; construiu uma garagem de carrinhos pra você (a idéia original era um posto de gasolina); monta teatrinhos e inventa brincadeiras pra fazer você parar de chorar.

Sua irmã cuida de você como só as irmãs mais velhas sabem fazer. “Tia Dany, ele pode cair!”; “Tia Dany, segura ele aqui que eu já não tô mais dando conta” (morri de rir com esta); “Fica tranquilo, Eric, a irmã está aqui”; “Deixa que eu olho ele, tia Dany”; “Posso ajudar?”; “Não chora, Eric…vou distrair você”.

Sua irmã te ama, como só as grandes irmãs sabem amar. “Eric, meu amor, que saudades de você!”; “Moleque feliz, vem com a irmã, vem?”; “Ai, ele é tão foooooofo!”; “Oi, meu lindo, deixa eu beijar você?”; “Eric, eu te amo!”.

Sua irmã me emociona. Olho pra ela e penso que eu não poderia ter escolhido irmã melhor pra você.



  • João Lopes: Silvia (permita-me chamá-la assim), eu não conhecia as coisas lindas (filosóficas de precisão!) que escreve, porém, depois de receber um e-mail d
  • João Lopes: Silvia (permita-me chamá-la assim), eu não conhecia as coisas lindas (filosóficas de precisão!) que escreve, porém, depois de receber um e-mail d
  • cleonice: gostaria de receber os protetores de colchaõ traveseiro edredom da casa co alergista como faço para comprar