Família do-ré-mi-fá

Archive for the ‘Shows’ Category

Hoje recebo um e-mail: “Feliz 45 meses”.
Pra variar, não me lembrei. Mas HP é fofo e não esquece. E assim vai fazendo meus dias mais felizes com estas pequenas demonstrações de amor.

Ontem, dia 09, fizemos 2 anos de troca de alianças. Hoje, dia 10, fazemos 3 anos e 9 meses juntos. Daqui a dois dias Eric faz 1 ano e 9 meses e eu faço aniversário também (mas que ninguém me pergunte a idade porque, afinal, não é educado, né mesmo?)

Pra variar, comemoramos nosso aniversário de casamento, meu aniversário e a nova barriga de 6 meses (de novo), em cima de um palco, fazendo show. Desta vez com a nossa banda fixa, a Boogie Nights. Fomos convidados a tocar no MOFO, uma casa tradicional na Lapa – nossa 2ª vez no bairro boêmio. A primeira foi tocando no Odisséia.

Bom, divulgamos o show entre os amigos, e somente pelo facebook. Acabei não elegendo esta apresentação como a nossa comemoração oficial dos 3 eventos. Aparentemente tudo conspirava contra: era uma quarta-feira, meio de semana, vésperas de feriado, dia chuvoso, estávamos com menos 1 tecladista na banda e tocávamos com um baixista substituto. E eu, no vocal, com “darizentubido” por conta de uma forte gripe que me abateu hoje. Achei que não daria ibope, não seria tão legal, e preferi deixar a festa de comemorações pr’um próximo evento.

Mas eis que a Lapinha nos surpreendeu: mesmo com chuva e mesmo em plena quarta-feira, a casa deu um movimento bem legal. Aliás, a Lapa inteira estava fervilhante. O MOFO, que nos decepcionou bastante durante as negociações, até que tinha um som de qualidade e uma turma simpática. Meu nariz entupido não passou a perna na minha voz.
E HP também não perdeu a chance de anunciar, no meio do show, que estávamos comemorando 2 anos de casados, meu aniversário e o novo bebê que vai chegar.

E assim, tivemos um show bom. E uma noite feliz.
FELIZ 45 meses, meu amor!

Anúncios

2 anos

Posted on: 09/11/2010

Maridón ontem me pergunta se eu prefiro almoçar ou jantar fora com ele hoje.
Em plena terça-feira (?)
“Ué, por que?” – estranho.
“Pensa, Dany, que dia é amanhã?”
“Dia 09 de novembro. E…???”
“Que data tá marcada na sua aliança?”
“Ih, é verdade! 2 anos juntos!”

Sou desligada com datas. Já maridón é ligadíssimo. Aqui em casa subvertemos a estatística dos sexos: é o homem quem lembra dos dias comemorativos.

***

No dia 09 de novembro de 2009 trocamos alianças. Não havia uma igreja, cartório ou casa de festas. Mas nossos parentes e amigos mais queridos estavam lá. E muitos choraram (como em qualquer casamento) no “momento das alianças”. As diferenças de um casamento comum pro nosso: A “igreja” era uma casa de shows; o “altar” era um palco, as “velas” eram luzes estroboscópicas, a “ornamentação” eram cabos, instrumentos, luzes coloridas, fumaça de gelo seco, caixas de retorno. O “pastor, padre, juiz ou orador” era o próprio “noivo”. E a “noiva”….bom, a noiva nem sabia que ia “CASAR”.

Assim estava garantida minha surpresa mór da noite.
Eu estava lá apenas para fazer um show em comemoração ao meu aniversário. Comemorávamos também à chegada do bebê (6 meses de gravidez). Tínhamos reunido uns amigos músicos, montado um show para apresentá-lo numa festa de aniversário, escolhido uma casa de shows na Zona Sul da cidade, convidado nossos amigos e parentes e, ao final do show abriríamos espaço para uma Jam Session, onde qualquer um poderia participar tocando ou cantando seu repertório favorito. O script da festa estava todo montado e acertado. Eu só não contava com a surpresa no meio do show.
HP parou a banda, anunciou um momento-surpresa, pediu pra eu descer do palco e, assim, bem de improviso (porque nada disso foi ensaiado) fez umas piadas e cantou 3 músicas engraçadinhas. O povo achou que era apenas um momento-humor. Mas…pra que raios a Dany precisava sair do palco? – muitos devem ter se perguntado – inclusive eu. No meio da terceira música, ele me chamou de volta. Fez uma declaração sobre o tempo em que estávamos juntos e chamou a filha dele ao palco. Alice subiu trazendo uma caixinha de alianças. HP ajoelhou, me pediu em casamento e botou a aliança no meu dedo. Nos beijamos. Coloquei a dele também. Eu tremia. Nos beijamos novamente. A platéia chorava. E retomamos a música interrompida. Foi lindo. Diferente, inusitado, espontâneo. Bem ao estilo HP.
Naquela noite eu tive a certeza de que os melhores momentos da vida acontecem assim: sem ensaio.

***

E assim HP saiu hoje da ZN na hora do almoço, enfrentou meia hora de trânsito pra me encontrar na ZS e aproveitar só 1 horinha de almoço comigo.

Não pudemos nos dar ao luxo de sair pra jantar, porque aquele carinha que estava assistindo tudo, de dentro da barriga, há 2 anos atrás, tinha pediatra hoje à noite.



  • João Lopes: Silvia (permita-me chamá-la assim), eu não conhecia as coisas lindas (filosóficas de precisão!) que escreve, porém, depois de receber um e-mail d
  • João Lopes: Silvia (permita-me chamá-la assim), eu não conhecia as coisas lindas (filosóficas de precisão!) que escreve, porém, depois de receber um e-mail d
  • cleonice: gostaria de receber os protetores de colchaõ traveseiro edredom da casa co alergista como faço para comprar